Colabore
News

Gaian@s fazem estágio em sítios permaculturais

Gaian@s fazem estágio em sítios permaculturais

Durante os meses de janeiro e fevereiro de 2015, foram realizados os estágios da turma Educação Gaia 2014.

Os estágios constituem oportunidades de desenvolver habilidades de design  sustentável e consolidar, na prática, os conceitos que vêm sendo aprofundados ao longo do Curso. Além disso, também são uma oportunidade de maior integração, pelo exercício da vivência em comunidade onde os participantes exploram as relações entre sustentabilidade pessoal, social, ecológica, econômica e ampliam sua visão de mundo.

Cada estágio teve um enfoque diferente, passando por diversos aspectos da sustentabilidade, mas o sentimento mais expresso pelos participantes foi a admiração de constatarem que seus orientadores são pessoas que realmente praticam o que pregam, sendo essa aprendizagem pelo exemplo a que mais se imprime nos corações e mentes.

No Nós na Teia, um centro de vivência, aprendizagem e irradiação da Permacultura, os estagiários fizeram uma imersão em que puderam conviver com os moradores e participar de atividades cotidianas, preparando sua comida, cuidando da água e do solo, realizando produtos de higiene e limpeza ecológicos e principalmente trabalhando na Bioconstrução. Eles prepararam o barro, subiram paredes ornamentadas com garrafas coloridas, fizeram mosaico e descobriram que está a seu alcance construir e usar alternativas ecológicas aos produtos industrializados.

No Toca da Coruja, igualmente um centro permacultural, a vivência foi mais focada nas energias alternativas, manejo das águas e na construção de canteiros mandala para a horta que fornecerá produtos para o futuro CSA (Comunidade de Suporte ao Agricultor) em fase de implantação no local. Gerou grande aprendizado o  manejo da agrofloresta sucessional existente no local, provocando ricos diálogos sobre a necessidade de reflorestar e produzir alimentos.

Também a Ecovila Aldeia do Altiplano proporcionou uma oportunidade de vivência permacultural com um foco mais específico nas hortas biodiversificadas de produção para o CSA e na agrofloresta sucessional. Diferentemente dos dois locais anteriores, com um trabalho consolidado de vários anos, esta ecovila está em fase de formação e os estagiários puderam entrevistar moradores e acompanhar as primeiras etapas de uma casa em bioconstrução e a implantação da bacia de evapotranspiração.

Outro cenário de estágio foi a reserva ecológica Paraíso na Terra, pertencente à Sociedade Teosófica. É um local de impressionante beleza natural, repleto de cachoeiras, nascentes e trilhas. O grupo do estágio dialogou com os funcionários e diretores da entidade, optando por concentrar esforços na formatação e organização de atividades educacionais que pudessem ser oferecidas para escolas. Foi então organizado um evento de três dias denominado “Jornada pelas Águas” onde foram desenvolvidas e testadas várias atividades que poderão ser utilizadas em eventos educacionais, com ênfase especial na criação, com o apoio do ambientalista e professor Luiz Síveres, de uma trilha temática e experiencial centrada no elemento água. O inauguração dessa trilha temática ocorreu durante a “Jornada pelas Águas”, com excelentes resultados. Atividades complementares estão previstas para consolidar o projeto.

O Ecoparque, localizado dentro do Parque Olhos D’água, é também um espaço de Educação Ambiental, criado e coordenado pelo coletivo Sete Saberes que foi nosso parceiro neste estágio. O local recebe sobretudo estudantes da escola fundamental com os quais promove brincadeiras e jogos cooperativos para a sensibilização da necessidade de preservação ambiental. Como atividades do estágio, os gaianos promoveram dois eventos, um com feira de trocas e outro sobre a preservação da água.

No estágio da UNIPAZ – Universidade Holística Internacional da Paz – os gaianos entraram em contato com o Movimento Diálogos da Arie – Área de Relevante Interesse Ecológico – Granja do Ipê, e com a população do Combinado Agro Urbano, que assim como a Unipaz e algumas outras entidades ocupam áreas na Unidade de Conservação ou são lindeiras à mesma.O objetivo do estágio no fundamental foi de fortalecer os laços e as relações sócio ambientais da comunidade. O Movimento Diálogos criado em 2012 pela comunidade, estruturou-se com o propósito de desenvolver uma consciência de cidadania ecológica e de preservação através de projetos e programas sócio ambientais, desenvolvendo trabalhos de preservação na ARIE . Os gaianos puderam presenciar e vivenciar alguns encontros importantes de tomada de decisão para implantação do Plano de Manejo. A comunidade do Combinado Agro Urbano de Brasília – CAUB , constituída de famílias lá assentadas há mais de 20 anos, a Unipaz e outros que ocupam área dentro da UC vêm enfrentando momentos desafiadores de luta contra a especulação imobiliária, o parcelamento irregular e destruição de suas riquezas ambientais. Para contribuir no fortalecimento da comunidade foram realizadas, por meio do Movimento Diálogos com a participação e contribuição efetiva dos gaianos, vários encontros de Economia Solidária, culminando com uma Feira de Economia Solidária, para a qual foi criada uma moeda social – o Ipê – contando com a orientação e presença da Dra. Heloísa Primavera, uma das fundadoras da Economia Solidária, que veio diretamente de Buenos Aires para acompanhar e apoiar a Feira Solidária do Ipê.

Toda essa aprendizagem foi feita em clima de muita alegria e celebração. Os grupos de estágio  participaram uns das atividades dos outros e puderam compartilhar conhecimentos e planos de continuidade futura dos seus projetos de sustentabilidade.

0 Comments

Faça um comentário